Nas ruas
13/04/2017

Escola estadual pede doação em troca de ponto em nota

Tatiana Cavalcanti
do Agora

Pais e alunos da Escola Estadual Mário Franciscon, em São Bernardo do Campo (ABC), do governo Geraldo Alckmin (PSDB), afirmam que a diretoria pediu aos estudantes a doação de um quilo de alimento em troca de um ponto na média nas disciplinas de matemática ou de português. O pedido foi feito na semana passada, e as prendas deveriam ser entregues até sexta-feira, dia 7.

Ronny Santos/Folhapress
Aluna da Escola Estadual Mário Franciscon, no ABC
Aluna da Escola Estadual Mário Franciscon, no ABC

Essa situação foi relatada ontem à reportagem do Agora por 11 alunos do ensino médio (2º e 3º anos), 10 do fundamental (5º e 6º anos) e 7 pais de estudantes.

A escola pretendia vender os produtos doados para pagar o conserto das duas bombas hidráulicas da unidade, queimadas há um mês. Segundo um funcionário que pediu para não ser identificado, o reparo de cada bomba custa R$ 1.800. A arrecadação com as doações foi de R$ 900.

"Já mandamos três ofícios ao Estado, mas não resolveu ainda. Sem água, vamos ter que dispensar alunos. Como medida provisória, emprestamos uma bomba particular."

O funcionário disse que no sábado houve uma gincana e que esse bônus na nota seria um ponto positivo para a sala, e não individualmente.

Mas os alunos negam. "Inclusive a sala que levasse mais prendas, sim, ganharia pontos positivos. Mas eles prometeram, sim, nota na média em troca da comida", disse uma aluna de 15 anos do 2º ano.

Os pais dizem que já reclamaram em reuniões e que a diretoria nunca revelou quantos quilos de comida foram arrecadados, o que foi feito com eles nem a verba arrecadada. A mãe de uma aluna do 3º ano afirma que os pais não foram avisados da existência do bazar. "Só havia alunos na gincana. Não faria sentido os estudantes comprarem a comida que nós mesmos doamos", indagou.

Pais mandam produtos 'por medo'

Os pais de alunos da Escola Estadual Mário Franciscon, em São Bernardo (ABC), consideram "lamentável" o pedido da diretoria. Para eles, a escola passou para os alunos a responsabilidade de resolver um problema que é do Estado e do colégio.

"Eu só mandei a prenda porque fiquei com receio de a minha filha ser prejudicada na nota final. Mas considero uma atitude lastimável", afirmou o motorista José de Lima, 60 anos. A filha dele levou um pacote de macarrão na semana passada. Ela estuda no ensino médio.

Lima conta que seus dois sobrinhos estudam na unidade e relataram o mesmo pedido, em troca de nota.

Diz ainda que ligou na Secretaria da Educação e que disseram que essa prática é irregular, mas não explicaram o que ele deveria fazer nem como denunciar.

Para a dona de casa Maria Santos, 43 anos, mãe de um aluno do 6º ano na escola, a prática é abusiva. "Só comprei o óleo para meu filho levar por causa da nota", admitiu a mulher.

RESPOSTA

A Secretaria de Estado da Educação, sob gestão Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou em nota que considera "inadmissível a conduta adotada pela direção da Escola Estadual Mário Franciscon e repudia atitudes que onerem as famílias de qualquer maneira ou que misturem avaliação escolar com qualquer outra fator senão o do desempenho nos estudos".

A pasta determinou que a Diretoria Regional de Ensino de São Bernardo do Campo abra apuração preliminar para averiguar o caso.

Disse ainda que "em nenhum momento" a direção da unidade protocolou pedido para conserto ou manutenção das bombas hidráulicas, mas que enviará técnicos ao local.

LEIA MAIS

Empresas de lixo receberam R$ 600 mi a mais, diz tribunal
Hospital dispensa pacientes com câncer por falta de grana
Agência do Banco do Brasil é saqueada após fechamento

Índice

PUBLICIDADE

29/04/2017

Frio bate dois recordes em SP, mas feriado será ensolarado

Doria manda suspender mais cinco obras de postos de saúde

Rio tem oito ônibus queimados e três feridos em protestos violentos

Bancas de jornal da capital sofrem onda de assaltos

Governo não vai recuar de reformas, afirma Temer

PM e manifestantes brigam em frente à casa de Temer

Greve geral deixa a cidade de São Paulo deserta

28/04/2017

Figurinista da Globo desiste de incriminar José Mayer

Chefe é acusado de matar amante após vítima recusar aborto

Explosão deixa 6 feridos em restaurante na Vila Mariana

Jovem morre em acidente de carro em suposto racha

Moradores reclamam de obras paradas na periferia

Greve deve parar ônibus, trem, metrô e escolas hoje

27/04/2017

Marronzinho é sequestrado ao rebocar carro na marginal

Ladrões fugiram por rio após mega-assalto no Paraguai

Monumento às Bandeiras ganha protetor contra ruído

Hospital de câncer desativa um andar por falta de grana

Doria corta papel e guache e atrasa verba de escolas

Doria manda parar 37 obras em 28 bairros da periferia

26/04/2017

Bruno se entrega à polícia após STF pedir volta à prisão

Polícia prende 10 e recupera R$ 4,6 mi após mega-assalto

Imagens exibem traficantes com bolo de dinheiro na rua

Pedestre de 75 anos morre atropelado na marginal Tietê

Gestão Doria suspende obras de CEUs por quatro meses

25/04/2017

Mais uma agência fechada do Banco do Brasil é saqueada

Modelos acusam donos da "Playboy" no Brasil de assédio

Bombeiro civil é morto em arrastão em Carapicuíba

Usuários do cartão BOM terão desconto em farmácias

Facção de SP é suspeita de mega-assalto no Paraguai

24/04/2017

Caixa de correio ajuda na organização e diminui o custo

Pilar do Sul vive madrugada de pânico com tiros e explosões

Universitário de 18 anos cria cursinho gratuito em CEU

Doria conquista evangélicos e é visto como presidenciável

Faixas de ônibus sofrem com buracos e sinalização falha

23/04/2017

Vida útil dos alimentos é maior com a geladeira organizada

Incor faz 40 anos e abre pronto-socorro de ponta

Nova geração de coreanos dá ar moderno ao Bom Retiro

Acelerado, Doria provoca queixas e olheiras na equipe

Prisão por terrorismo tem de assassinato a greve de fome

22/04/2017

SPTrans muda regra do Bilhete do Estudante

PM afasta 4 suspeitos de espancar e matar adolescente

Crise, Uber e novos hábitos esvaziam estacionamentos

Sem-teto faz casa mobiliada no centro

Fim das ciclovias em frente a lojas divide comerciantes

Em seis anos, capital perde 1 de cada 4 leitos pediátricos

21/04/2017

Homem é morto ao reagir a roubo

Aluno de creche fica sem aula por atraso em repasse

Grafites cobertos por tinta ressurgem na 23 de Maio

Biblioteca Mário de Andrade deixa de funcionar 24 horas

Remoção de ciclovias será maior na periferia, diz Doria

Mais notícias: 1 2 3 4 5 Próximo

De que você precisa?

Copyright Agora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação,
eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br).