Nas ruas
13/04/2017

Escola estadual pede doação em troca de ponto em nota

Tatiana Cavalcanti
do Agora

Pais e alunos da Escola Estadual Mário Franciscon, em São Bernardo do Campo (ABC), do governo Geraldo Alckmin (PSDB), afirmam que a diretoria pediu aos estudantes a doação de um quilo de alimento em troca de um ponto na média nas disciplinas de matemática ou de português. O pedido foi feito na semana passada, e as prendas deveriam ser entregues até sexta-feira, dia 7.

Ronny Santos/Folhapress
Aluna da Escola Estadual Mário Franciscon, no ABC
Aluna da Escola Estadual Mário Franciscon, no ABC

Essa situação foi relatada ontem à reportagem do Agora por 11 alunos do ensino médio (2º e 3º anos), 10 do fundamental (5º e 6º anos) e 7 pais de estudantes.

A escola pretendia vender os produtos doados para pagar o conserto das duas bombas hidráulicas da unidade, queimadas há um mês. Segundo um funcionário que pediu para não ser identificado, o reparo de cada bomba custa R$ 1.800. A arrecadação com as doações foi de R$ 900.

"Já mandamos três ofícios ao Estado, mas não resolveu ainda. Sem água, vamos ter que dispensar alunos. Como medida provisória, emprestamos uma bomba particular."

O funcionário disse que no sábado houve uma gincana e que esse bônus na nota seria um ponto positivo para a sala, e não individualmente.

Mas os alunos negam. "Inclusive a sala que levasse mais prendas, sim, ganharia pontos positivos. Mas eles prometeram, sim, nota na média em troca da comida", disse uma aluna de 15 anos do 2º ano.

Os pais dizem que já reclamaram em reuniões e que a diretoria nunca revelou quantos quilos de comida foram arrecadados, o que foi feito com eles nem a verba arrecadada. A mãe de uma aluna do 3º ano afirma que os pais não foram avisados da existência do bazar. "Só havia alunos na gincana. Não faria sentido os estudantes comprarem a comida que nós mesmos doamos", indagou.

Pais mandam produtos 'por medo'

Os pais de alunos da Escola Estadual Mário Franciscon, em São Bernardo (ABC), consideram "lamentável" o pedido da diretoria. Para eles, a escola passou para os alunos a responsabilidade de resolver um problema que é do Estado e do colégio.

"Eu só mandei a prenda porque fiquei com receio de a minha filha ser prejudicada na nota final. Mas considero uma atitude lastimável", afirmou o motorista José de Lima, 60 anos. A filha dele levou um pacote de macarrão na semana passada. Ela estuda no ensino médio.

Lima conta que seus dois sobrinhos estudam na unidade e relataram o mesmo pedido, em troca de nota.

Diz ainda que ligou na Secretaria da Educação e que disseram que essa prática é irregular, mas não explicaram o que ele deveria fazer nem como denunciar.

Para a dona de casa Maria Santos, 43 anos, mãe de um aluno do 6º ano na escola, a prática é abusiva. "Só comprei o óleo para meu filho levar por causa da nota", admitiu a mulher.

RESPOSTA

A Secretaria de Estado da Educação, sob gestão Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou em nota que considera "inadmissível a conduta adotada pela direção da Escola Estadual Mário Franciscon e repudia atitudes que onerem as famílias de qualquer maneira ou que misturem avaliação escolar com qualquer outra fator senão o do desempenho nos estudos".

A pasta determinou que a Diretoria Regional de Ensino de São Bernardo do Campo abra apuração preliminar para averiguar o caso.

Disse ainda que "em nenhum momento" a direção da unidade protocolou pedido para conserto ou manutenção das bombas hidráulicas, mas que enviará técnicos ao local.

LEIA MAIS

Empresas de lixo receberam R$ 600 mi a mais, diz tribunal
Hospital dispensa pacientes com câncer por falta de grana
Agência do Banco do Brasil é saqueada após fechamento

Índice

PUBLICIDADE

19/01/2018

Guarda-civil é assassinado durante assalto em Diadema

Motorista de Cristiano Araújo é condenado por homicídio

Greve para linhas do metrô em dia de briga na Justiça

Vacinação da febre amarela é antecipada pela segunda vez

18/01/2018

CET reduz tinta vermelha em nova ciclovia

Polícia investiga carcereiro por atropelamento de idoso

Greve de 24 horas deve parar quatro linhas do Metrô hoje

Morto com suspeita de febre fez peregrinação em hospitais

Pacientes madrugam na fila por vacina da febre amarela

17/01/2018

Empresário é sequestrado e morto por causa de dívida

Regional pede demissão após uso de carro fora da função

Moradores reclamam de lixão na zona norte

Posto de saúde na zona oeste não faz raio-X há dois meses

Governo antecipa vacinação fracionada da febre amarela

16/01/2018

Idoso morre atropelado em racha na Vila Madalena

Funcionário fica com bomba em assalto a banco

Haddad é indiciado por suspeita de uso de caixa 2

Morador de Taboão morre de febre amarela na Bahia

Motorista tem até 14 de abril para parcelar multa da capital

15/01/2018

Prédio pode cobrar e limitar uso de quadras esportivas

Ônibus invade acostamento de rodovia e mata ciclista

Pré-Carnaval com 15 blocos de rua arrasta multidão no fim de semana

PM dispersa foliões com balas de borracha e bombas

Tire 50 dúvidas sobre a febre amarela

Sete em cada dez bueiros causam riscos a pedestres

14/01/2018

Vacinação tem espera de 2 h e desrespeito a fila de idoso

Vai-Vai colocará em alegoria atleta com pernas biônicas

Grupo faz bordado e crochê para enfeitar muros e postes

Atividades que fazem sorrir ajudam pacientes com câncer

Vertigem pode ser o sintoma de alguma doença mais grave

13/01/2018

Suzanne pode cumprir pena em liberdade, aponta laudo

Homem passa dois dias com dentadura presa na garganta

Doria cobra até R$ 22 mil de IPTU atrasado em Cohab

Estado já tem 21 mortes por febre amarela desde 2017

Idoso precisa de avaliação médica para tomar vacina

12/01/2018

15 artistas brasileiros são mais ouvidos no exterior

Policial diz que dirigia Camaro e nega racha na Imigrantes

Moradores vão a parque mesmo sem tomar vacina

Vacinação em farmácias pode até parar na Justiça

Passageiros evitam beirada de plataformas no metrô

Ônibus intermunicipais vão subir até 4,95% na 3ª feira

11/01/2018

Regras para aplicativos não saem do papel

Mulher empurrada no metrô diz ter escapado de 4 vagões

Homem quebra ambulâncias com taco em base do Samu

Racha na Imigrantes deixa duas passageiras mortas

Postos vivem nova corrida por vacina da febre amarela

10/01/2018

Regras do Uber começam hoje com liminar na Justiça

Mais 4 pessoas morrem por febre amarela no Estado

Vacina da febre amarela será oferecida em mais 52 cidades

Passageira se salva após ser empurrada no metrô

Mais notícias: 1 2 3 4 5 Próximo

De que você precisa?

Copyright Agora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação,
eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br).