Nas ruas
30/03/2009

Prefeitura paga R$ 71 por medicamento de R$ 6

Folha de S.Paulo

A Prefeitura de São Paulo pagou até 994% a mais por remédios e produtos hospitalares entre 2003 e o ano passado. O esquema, que teria a participação de servidores, beneficiou ao menos três empresas, que atuariam numa espécie de cartel para fraudar licitações.

As fraudes foram descobertas pela própria Secretaria Municipal da Saúde, que montou uma comissão de investigação após ser alertada pela Polícia Civil e pelo Ministério Público Estadual.

A comissão finalizou na semana passada um relatório parcial, obtido pela reportagem, que apontou irregularidades em oito dos 50 processos analisados. Essas oito compras representam gastos de R$ 6 milhões.

Outros 137 processos ainda estão em fase de apuração. O relatório parcial não apresenta nome de nenhum servidor porque está sob sigilo.

No caso mais absurdo, em 2007, a prefeitura pagou<qj> R$ 71,10 para cada caixa de Fluconazol, medicamento usado contra infecções, que era encontrado na distribuidora a R$ 6,50. Somente em fevereiro, a prefeitura comprou 1.050 cartelas do Fluconazol iguais à apresentação do contrato. Em uma única compra, o desvio de dinheiro chegaria a R$ 67 mil.

As licitações sob investigação têm a participação de seis empresas -Embramed, Biodinâmica, Vida's Med, Halex Istar, Home Care Medical e Velox. Todas estão impedidas de firmar contratos com a prefeitura até o fim da apuração.

No caso da compra do medicamento Levofloxacino, fornecido pela Halex, os auditores dizem haver mais evidências de superfaturamento.

Com base em pesquisa em outros órgãos, concluiu-se que a secretaria pagava bem mais, R$ 64,90 por embalagem, do que outras unidades -o Hospital Samaritano pagava R$ 25 e o Santa Catarina, por exemplo, R$ 49.

Em outro processo de compra que evidenciaria superfaturamento, a empresa contratada havia feito oferta de R$ 3.767, mas acabou recebendo exatos R$ 15,7 mil, para surpresa da comissão. "Não [se] justifica a diferença", diz o documento da comissão da secretaria.

Um dos processos, para a compra de alguns tipos de soro, também apontou que os preços eram até 46% maiores do que os praticados no mercado, inclusive em vendas para outros órgãos de governo.

Esse mesmo processo de compra revelou um problema ainda mais grave -os produtos entregues eram de "qualidade duvidosa" e o pedido de substituição ainda se encontrava "em andamento", o que corrobora a tese do Ministério Público, de que as empresas sob suspeita trabalhavam com materiais de baixa qualidade.

Outro caso emblemático, conforme o relatório da comissão, ocorreu na licitação para mobiliar o Hospital Cidade Tiradentes (zona leste de SP). No valor de R$ 3,889 milhões, foi obtido em agosto de 2006 pela Home Care Medical.

O relatório afirma que o edital já era irregular, porque não exigia certidão negativa de débitos públicos das empresas. Além disso, quatro empresas que disputaram a licitação "apresentaram preços praticamente iguais" nos 34 itens. Em 13 itens, os preços eram "idênticos", indício de combinação prévia entre as empresas. Um inspeção realizada pela comissão no hospital descobriu que jamais haviam sido entregues 128 armários do tipo roupeiro que já haviam sido pagos.

Em outro caso, o mesmo funcionário que requisitou a contratação do serviço conduziu a licitação, dando margem para mais suspeitas. Esse contrato, de R$ 712 mil, para a manutenção de equipamentos cirúrgicos, foi vencido pela Biodinâmica em 20008.

Índice

PUBLICIDADE

21/04/2018

Advogado é terceira vítima de arrastão e tiroteio em ônibus

Uso de celular e rede social ajudam cérebro de idosos

Há estrutura de corrupção na prefeitura, diz ex-controlador

Hospitais públicos infantis têm espera de até 5 horas

20/04/2018

Assalto a ônibus acaba com 3 mortos e outros 3 feridos

Motorista bêbado que matar ou ferir terá pena mais dura

Festa para santo Expedito reúne 50 mil no Jaçanã

Ex-assessor de Doria é sócio de beneficiado por gestão

Para abrir creches, prefeitura paga aluguel superfaturado

19/04/2018

Cristian Cravinhos é preso ao tentar subornar policiais

Teto de escola infantil desaba e deixa 19 feridos no interior

Ex-presidentes do Metrô viram réus em ação da linha 5

Mais casais fazem divórcios amigáveis em São Paulo

18/04/2018

Palmeirense é preso por atropelar e matar corintiano

Quatro são assassinados em chacina em São Bernardo

Explosão em posto fere sete e danifica 20 imóveis

Crescem casos de bullying em escolas da rede estadual

17/04/2018

Contador é achado morto em apartamento na zona oeste

Fachada do Pateo do Collegio é restaurada por voluntários

Motorista tomba ônibus na Radial Leste, fere cinco e foge

Cruzamentos mais perigosos da cidade estão na zona leste

16/04/2018

Fundo de reserva de condomínios deve ser usado em despesa imprevista

Adolescente é morta a tiro e PM se suicida em motel

Postos de saúde têm vacina, mas banheiros estão sujos

Asfalto Novo deixa vias sem sinalização

Pacientes ficam sem pediatra em hospitais na zona leste

15/04/2018

Falta de sol pode fazer mal para os ossos e para o coração

Metrô tem vacinação contra febre amarela

Carreata marca despedida a garoto morto em acidente

Mulheres negras avançam, mas ainda há desigualdade

Bruno Covas ouve mais e desacelera na prefeitura de SP

Grana e idade influenciam escolha de comida saudável

14/04/2018

Assassinato de Marielle faz 1 mês e segue sem solução

Novo Sesc terá mirante com vista da avenida Paulista

Morte no trânsito cresce em 8 das 10 vias mais perigosas

Caminhão atinge van escolar, mata estudante e fere 16

13/04/2018

Prefeito de Embu tem mandato cassado

Mulher de 64 anos dá à luz a primeira filha em Minas

Polícia desmonta fábrica de embalar cocaína na zona leste

Justiça suspende contrato bilionário da iluminação

Mulher e criança caem de micro-ônibus em movimento

Site para transferir multas da prefeitura não funciona

12/04/2018

Sair do Facebook dá menos bem-estar, mas reduz estresse

Onda de roubos e agressões leva medo à rua Frei Caneca

Médico é preso por bater o ponto em posto e ir embora

Cratera interdita prédios da CDHU pela terceira vez

Queixas contra a prefeitura triplicam no 1º trimestre

11/04/2018

Corintiano morre atropelado na festa do título em Osasco

Tentativa de fuga em prisão deixa 21 mortos em Belém

Vândalos picham Pateo do Collegio com letras gigantes

Mais notícias: 1 2 3 4 5 Próximo

De que você precisa?

Copyright Agora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação,
eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br).