Nas ruas
30/03/2009

Prefeitura paga R$ 71 por medicamento de R$ 6

Folha de S.Paulo

A Prefeitura de São Paulo pagou até 994% a mais por remédios e produtos hospitalares entre 2003 e o ano passado. O esquema, que teria a participação de servidores, beneficiou ao menos três empresas, que atuariam numa espécie de cartel para fraudar licitações.

As fraudes foram descobertas pela própria Secretaria Municipal da Saúde, que montou uma comissão de investigação após ser alertada pela Polícia Civil e pelo Ministério Público Estadual.

A comissão finalizou na semana passada um relatório parcial, obtido pela reportagem, que apontou irregularidades em oito dos 50 processos analisados. Essas oito compras representam gastos de R$ 6 milhões.

Outros 137 processos ainda estão em fase de apuração. O relatório parcial não apresenta nome de nenhum servidor porque está sob sigilo.

No caso mais absurdo, em 2007, a prefeitura pagou<qj> R$ 71,10 para cada caixa de Fluconazol, medicamento usado contra infecções, que era encontrado na distribuidora a R$ 6,50. Somente em fevereiro, a prefeitura comprou 1.050 cartelas do Fluconazol iguais à apresentação do contrato. Em uma única compra, o desvio de dinheiro chegaria a R$ 67 mil.

As licitações sob investigação têm a participação de seis empresas -Embramed, Biodinâmica, Vida's Med, Halex Istar, Home Care Medical e Velox. Todas estão impedidas de firmar contratos com a prefeitura até o fim da apuração.

No caso da compra do medicamento Levofloxacino, fornecido pela Halex, os auditores dizem haver mais evidências de superfaturamento.

Com base em pesquisa em outros órgãos, concluiu-se que a secretaria pagava bem mais, R$ 64,90 por embalagem, do que outras unidades -o Hospital Samaritano pagava R$ 25 e o Santa Catarina, por exemplo, R$ 49.

Em outro processo de compra que evidenciaria superfaturamento, a empresa contratada havia feito oferta de R$ 3.767, mas acabou recebendo exatos R$ 15,7 mil, para surpresa da comissão. "Não [se] justifica a diferença", diz o documento da comissão da secretaria.

Um dos processos, para a compra de alguns tipos de soro, também apontou que os preços eram até 46% maiores do que os praticados no mercado, inclusive em vendas para outros órgãos de governo.

Esse mesmo processo de compra revelou um problema ainda mais grave -os produtos entregues eram de "qualidade duvidosa" e o pedido de substituição ainda se encontrava "em andamento", o que corrobora a tese do Ministério Público, de que as empresas sob suspeita trabalhavam com materiais de baixa qualidade.

Outro caso emblemático, conforme o relatório da comissão, ocorreu na licitação para mobiliar o Hospital Cidade Tiradentes (zona leste de SP). No valor de R$ 3,889 milhões, foi obtido em agosto de 2006 pela Home Care Medical.

O relatório afirma que o edital já era irregular, porque não exigia certidão negativa de débitos públicos das empresas. Além disso, quatro empresas que disputaram a licitação "apresentaram preços praticamente iguais" nos 34 itens. Em 13 itens, os preços eram "idênticos", indício de combinação prévia entre as empresas. Um inspeção realizada pela comissão no hospital descobriu que jamais haviam sido entregues 128 armários do tipo roupeiro que já haviam sido pagos.

Em outro caso, o mesmo funcionário que requisitou a contratação do serviço conduziu a licitação, dando margem para mais suspeitas. Esse contrato, de R$ 712 mil, para a manutenção de equipamentos cirúrgicos, foi vencido pela Biodinâmica em 20008.

Índice

PUBLICIDADE

20/10/2018

Crânio de Luzia é achado em escombros do Museu Nacional

Aspirina pode elevar risco de morte por câncer em idosos

PM aposentado e filho são assassinados durante assalto

Famílias continuam em favela onde enxurrada matou garota

19/10/2018

Ladrão faz arrastão e leva R$ 30 mil de três igrejas

Feira da madrugada na Lusa deve começar em novembro

Temporal inunda novas estações

Obras de CEUs recomeçam em ritmo lento na zona leste

18/10/2018

Covas prevê menor valor para corredores em 5 anos

Prefeitura corta 367 árvores para fazer piscinão na Saúde

17/10/2018

Novas estações do metrô tiram passageiro de corredor

Menina é estuprada por preso em cadeia de Fortaleza

16/10/2018

Acidente com carro roubado deixa três mortos na marginal

Jovem é morto por ladrões ao reagir a assalto em Osasco

São Paulo atinge meta de ter 50% das crianças em creche

Confusão marca primeiro dia útil da linha 5 do metrô

15/10/2018

Descarte irregular de lixo poderá render punições

Criança de 2 anos morre em incêndio na casa onde vivia

Morte violenta tem maioria sob efeito de álcool ou droga

Guararema não registra homicídios há quase 3 anos

Piscinões têm mato e sujeira perto da temporada de chuva

14/10/2018

Idoso que toma remédio por conta própria fica vulnerável

PM é baleado com a própria arma após briga de trânsito

Violência em casa gera fuga de estudos em Guarulhos

Linha 5 passa a funcionar em horário normal no metrô

Brasileiro gosta de manter a geladeira sempre cheia

13/10/2018

Doente mental está em presídio comum há 2 meses

Após 10 anos, vizinhos ainda lembram da morte de Eloá

Professora vítima de racismo revive agressões de infância

Festa de Nossa Senhora Aparecida pede paz a brasileiros nas eleições

Eleito deputado, Alexandre Frota pode ter prisão decretada por dívida

Na TV, Bolsonaro chora e Haddad defende democracia

Ações contra não reeleitos devem perder foro especial

12/10/2018

Hospital do Mandaqui deixa prontuários amontoados

Professora é alvo de ataque racista em escola da capital

Pais conquistam os filhos com brinquedos antigos

5.000 romeiros passaram pela Dutra rumo a Aparecida

11/10/2018

Trio é acusado de golpes de R$ 400 milhões pela internet

PMs demoraram duas horas e meia para registrar mortes

Festa de Nossa Senhora vai ter Daniel e jovens estrelas

Três ônibus são atacados por dia na Cidade Tiradentes

10/10/2018

Ouvidor suspeita que jovens mortos por PMs não reagiram

Sabesp constrói túnel sob a marginal Tietê

Casos de dengue neste ano no estado já superam 2017

Estação São Paulo da linha 4-amarela atrasa de novo

Passageiros com crianças se queixam de transporte cheio

09/10/2018

Idoso ensina criança a viver sem os braços

Polícia é acusada de matar quatro jovens após rendição

Apoio para sem-teto trava

08/10/2018

Morte por infecção no país é o dobro em hospital público

Mais notícias: 1 2 3 4 5 Próximo

De que você precisa?

Copyright Agora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação,
eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br).