Nas ruas
29/10/2009

Carne vencida era servida em escola e hospital

Luis Kawaguti
do Agora

A Polícia Civil fechou ontem um frigorífico que armazenava mais de 30 toneladas de carne com validade vencida ou prestes a vencer. O alimento era reembalado com datas de validade falsas e vendido para hospitais, creches, escolas e penitenciárias de São Paulo e mais dois Estados.

O frigorífico ficava na rua João Graeber, 164, no Parque São Lucas (zona leste de SP). No local havia carne bovina, suína, de peixe e embutidos em cinco câmaras frias repletas de sujeira e bolor. Havia alimentos armazenados sem refrigeração em corredores.

Fabio Braga/Folha Imagem
Produtos vencidos e mal acondicionados em frigorífico
Produtos vencidos e mal acondicionados em frigorífico

"Os clientes são, na maioria, prefeituras, hospitais, penitenciárias e algumas empresas privadas", disse o delegado Anderson Pires Giampaoli, da 2ª Delegacia de Saúde Pública do DPPC (Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania). Segundo ele, a polícia acredita que o grupo, cujo dono é o empresário Eduardo Antônio Gouveia dos Santos, 57 anos, usava pelo menos quatro razões sociais, entre elas, frigorífico Gouveia Santos, para participar de diferentes tipos de licitação.

De acordo com a polícia, as empresas dele conseguiam vencer as licitações porque compravam carne prestes a vencer de outros frigoríficos por preços muito mais baixos que os de mercado.

A carne então era descongelada e recebia novas embalagens e etiquetas com carimbos federais e datas de vencimento futuras. Depois, ela era reembalada e congelada.

A reportagem encontrou no frigorífico peças de carne com validade vencida há um ano e meio que haviam recebido novo prazo de validade datado de janeiro de 2010.

Segundo levantamento preliminar da polícia, entre os clientes estavam mais de 20 prefeituras de São Paulo e de Minas Gerais --que usavam os alimentos para fazer merenda escolar e comida de hospital.

Também recebiam carne a Secretaria de Estado da Administração Penitenciária, que abastecia pelo menos dez penitenciárias e o Hospital do Servidor Público Municipal. A Secretaria da Segurança Pública do Mato Grosso do Sul também era cliente.

Resposta
O frigorífico funcionava no mesmo local havia sete meses e começou a ser investigado pelo DPPC há um mês e meio, depois de uma denúncia.

O grupo de empresas já havia sido autuado pelo menos quatro vezes pela Vigilância Sanitária, segundo a polícia, e por isso sempre mudava de lugar. A gerente Sandra Suguiura Cardoso, 52 anos, foi presa em flagrante por falsificação de documentos, por crime contra relações de consumo e por corromper gêneros alimentícios, segundo o delegado. O dono do local não foi encontrado. Procurado, o advogado dos dois suspeitos, Carlos Brito Silva, não quis falar sobre o caso com a imprensa.

Leia mais

100 Serviços

Índice

PUBLICIDADE

19/07/2018

Disque-Denúncia oferece recompensa por Dr. Bumbum

Mulher e filha estavam em boia atrás do radialista

Tribunal encontra remédio vencido e malconservado

Somente 18% das multas da Cidade Limpa são pagas

18/07/2018

Facção tenta passar recado com carta escrita em calça

Radialista era fã de viagens e queria ir à Disney com a filha

Batida de ônibus em muro fere três

Mulher morre após cirurgia plástica no bumbum em apê

Saída de dentistas derruba consultas na rede municipal

17/07/2018

Tempo seco coloca capital em atenção

Facção dava ordens de prisão com bloqueador de celular

Radialista morre após ser arremessado de brinquedo

Pontos de descarte irregular de entulho já superam 2017

16/07/2018

Motorista atropela corredor em ciclofaixa de domingo

Mortalidade infantil no país sobe pela 1ª vez desde 1990

Transplantes realizados no Brasil têm aumento de 6%

Bicicletário da CPTM funciona, mas tem falhas em banheiros

Encomendas extraviadas no prédio devem ser ressarcidas

15/07/2018

Casal é preso após matar grávida e roubar criança

Criar abelhas sem ferrão em casa vira hábito na capital

Croatas comemoram serem reconhecidos por brasileiros

Gastos e varrição encolhem nos cem dias de Bruno Covas

Automedicação é perigosa e pode levar paciente à morte

14/07/2018

Vandalismo em semáforos já supera todo o ano passado

Moradora é presa acusada de facilitar assalto em prédio

Família espera liberação de corpos nove dias após incêndio

Parques da periferia ficam fora de primeira concessão

13/07/2018

Vendedora está desaparecida

Gerente morre após cair no golpe 'boa noite, Cinderela'

Previdência municipal trava na Câmara e preocupa Covas

CEUs parados têm sujeira e atraem usuários de drogas

Espera por consulta com especialista chega a cinco meses

12/07/2018

Celular dentro da cueca salva caminhoneiros sequestrados

IPTU devido por clubes é igual a rombo de máfia dos fiscais

Burocracia barra morador de rua em abrigo municipal

Em 3 meses, Covas concentra compromissos no gabinete

11/07/2018

Família morta em acidente iria passar férias em sítio

Temperaturas caem e capital pode registrar mínima de 6°C

Trem de Cumbica equivale a ônibus em total de usuários

Católicos se mobilizam contra privatização de cemitérios

10/07/2018

Carros batem de frente e sete morrem em Guarulhos

Universitário é morto em assalto na rua Frei Caneca

Após 15 anos, desafio do Estatuto do Idoso é seguir lei

SUS usa linha de produção para aliviar prontos-socorros

09/07/2018

Máquinas recusam recarga de Bilhete Único em dinheiro

Jovem suspeito de matar pai e irmã a facadas é linchado

Matemática agrava abismo entre as escolas no Enem

Funcionários e calote deixam taxa de condomínio mais cara

08/07/2018

Clínicas populares de saúde crescem na onda da crise

Pinacoteca abre as portas a artistas moradores de rua

Mais notícias: 1 2 3 4 5 Próximo

De que você precisa?

Copyright Agora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação,
eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br).