Nas ruas
10/07/2017

Em noite fria, prefeitura não recolhe morador de rua

William Cardoso
do Agora

A gestão João Doria (PSDB) ignora moradores de rua que passam frio na capital. Foi o que constatou a reportagem do Agora, entre a noite de domingo e a madrugada de segunda-feira passada.

Com o termômetro oscilando entre 11ºC e 12ºC, o Agora localizou cinco lugares da capital onde pessoas estavam dormindo ao relento. A reportagem acionou a prefeitura pelo telefone 156 e em nenhum ponto houve a abordagem dos moradores de rua.

Funcionários da Cape (Coordenadoria de Atendimento Permanente e de Emergência) deveriam abordar, conversar e tentar convencer essas pessoas a ir para um abrigo. No entanto, eles passaram com o veículo em frente aos moradores de rua e não pararam –isso quando foram até os locais indicados.

No dia seguinte, quando a reportagem voltou a ligar para o 156 questionando o que foi feito, a prefeitura disse que "passou nos locais, mas os moradores de rua não foram localizados".

A gestão Doria tem feito propaganda pedindo para a população ligar para o telefone 156 sempre que for vista uma pessoa dormindo na rua quando a temperatura ou a sensação térmica forem inferiores a 13ºC.

A reportagem ligou pela primeira vez para o 156 às 21h20 de domingo, solicitando o resgate de uma família no canteiro central da av. Professor Noé de Azevedo, na Vila Mariana (zona sul). Os problemas começam aí: cinco minutos de espera só para a reportagem conseguir falar com uma atendente.

A funcionária disse que o envio de uma equipe poderia demorar até três horas. O Agora esperou. Uma hora depois, a perua da Cape passou bem devagar e, ao se aproximar da barraca com a família, foi embora. Os funcionários nem desceram do veículo.

A reportagem usou o mesmo procedimento para pedir ajuda a moradores de rua em outros quatro locais. Em nenhum dos casos o veículo passou, e as pessoas permaneciam ao relento ao menos até as 3h30.

Protocolos

Na terça-feira, com os protocolos em mãos, a reportagem pediu via 156 esclarecimentos sobre qual destino foi dado aos pedidos de resgate.

Segundo o atendente, a Cape respondeu que não havia localizado os moradores de rua em nenhum dos cinco pontos solicitados.

Em todos os casos, a reportagem passou endereços detalhados (com nome da rua, altura, pontos de referência e quantidade de pessoas em situação de rua).

Perua deixa para trás quatro crianças

A perua da Cape (Coordenadoria de Atendimento Permanente e de Emergência) deixou para trás na noite gelada do domingo quatro crianças, de 11 meses a 7 anos. Elas estavam em uma barraca com os pais no canteiro central da avenida Professor Noé de Azevedo, na Vila Mariana (zona sul).

Os coletores de reciclagem e artesãos Lucas Francisco Rosa, 27 anos, e Janaína Rodrigues Moreira, 24, vivem na rua desde que o barraco onde moravam no Parque São Rafael (zona leste) pegou fogo, há quatro anos. Eles não se separam de seus quatro filhos, Davi, 7, Daniel, 5, Yasmin Kerollayne, 3 anos, e Wendel Mateus, 11 meses.

Janaína conta que a família já chegou a viver em um abrigo da prefeitura, mas o local recebia usuários de drogas e havia muitas brigas, o que fez com que decidissem retornar às ruas.

"Falaram que teria serviço, que conseguiríamos trabalhar com carteira assinada, com escola para as crianças. Chegamos lá e não era nada disso", afirma.

No meio da rua, eles contam com a solidariedade das pessoas que passam por lá e deixam alimentos e roupas. Lucas, o pai, diz que até conseguiria pagar um pequeno aluguel com o que ganha com reciclagem e artesanato. "O problema é encontrar alguém que alugue para uma família com quatro crianças. Ninguém aceita", diz

Faltam vagas, dizem especialistas

Falta de vagas em abrigos e de profissionais capacitados são alguns dos problemas apontados por especialistas como responsáveis pela precariedade no atendimento à população de rua na capital. Segundo eles, o serviço falha ao não fazer a abordagem das pessoas.

Vice-presidente do Cress (Conselho Regional de Serviço Social), Patrícia Ferreira da Silva afirma que a prefeitura não está preparada para atender os moradores de rua durante o inverno. "Se não há vagas suficientes para acolher essa população, abordar é uma tarefa inútil. Hoje, se faz remendos. Não há uma fiscalização séria sobre isso. Não há supervisão técnica. Há uma alta rotatividade entre as pessoas que trabalham nesse setor.

Segundo Karina, também falta espaço adequado para receber famílias inteiras. "São Paulo conta com esse serviço, mas é muito reduzido. A mãe fica com os filhos em um lugar e o pai em outro, para garantir que um adulto fique com as crianças. No caso, a mulher", diz.

Professor de sociologia da Universidade Presbiteriana Mackenzie e especialista em população de rua, João Clemente de Souza Neto afirma que falta estrutura. "Tem mais gente que capacidade de atendimento. No último ano, aumentou muito a população de rua. A estrutura da prefeitura tem diminuído. Quando o governo fala em redução de custos, reduz entre os mais fragilizados".

Índice

PUBLICIDADE

18/06/2018

Morador antissocial pode ser multado e até expulso

Garota achada morta pode ter sido vítima de vingança

Bibliotecas têm internet falha e falta de segurança

Capital registra uma queixa de falta d'água a cada seis minutos

Após dez anos, lei seca flagra menos motoristas bêbados

17/06/2018

Doenças de pele aumentam no inverno por ressecamento

Corpo de menina desaparecida é achado em matagal após oito dias

PF usa bituca de cigarro para investigar ataque de facção

Mulheres são maioria nos videogames, diz pesquisa

Bairros da Copa no Brasil vivem expectativas diferentes

16/06/2018

Prefeitura não discute plano de AMAs, dizem conselheiros

Obra da Sabesp abre buracos em casas no Itaim Paulista

Choque mata jovem que usava celular na tomada

Suspeito de participar de sumiço de menina é preso

15/06/2018

Trio assusta passageiros com cobra em trem da capital

Estado faz alerta para o risco da volta do sarampo

Polícia faz ação contra facção após achar pistas em esgoto

Seis motoristas são multados ao dia por usar vaga de idoso

14/06/2018

Justiça condena médico por violação sexual de paciente

Porteiro vira herói ao salvar criança do fogo em prédio

Tribunal aponta falhas no programa Asfalto Novo

Assaltos em terminais de ônibus assustam passageiros

13/06/2018

Miss e namorado PM são procurados por sequestro

Doria e Covas tiram R$ 874 milhões de corredores de ônibus

Liberados fogos barulhentos na capital às vésperas da Copa

Governo de SP põe à venda dados do RG de 30 milhões

12/06/2018

Carro bate em ônibus e mata quatro pessoas da mesma família

Agência recusa revisão, e conta da água sobe 3,5%

Prefeitura doará 23 toneladas de margarina da merenda

Infestação de Aedes alerta três cidades da Grande SP

11/06/2018

Copa traz mais visitantes e altera a rotina de edifícios

Sete corpos são achados em praia do bondinho no Rio

Tráfico supera roubos entre os jovens da Fundação Casa

Venezuelanos recebidos em São Paulo buscam vida nova

Estações reformadas da CPTM têm escadas rolantes paradas

10/06/2018

Remela em excesso pode ser o sinal de alguma doença no olho

Leve smartphone campeão por 12 parcelas de R$ 37,99

Engenheiro é baleado ao reagir a assalto em Perdizes

Aplicativos ajudam idosos no dia a dia e no uso do celular

Quadrilhas mantêm tradição nordestina em São Paulo

Conserto de falha grave em semáforo demora até 5 dias

Três bebês nascem em carros de aplicativo por mês no país

09/06/2018

Vereador deve ser afastado na segunda-feira

Alunos dizem que professor apontou arma para colega

Tribunal suspende licitação bilionária de ônibus em SP

Comida de rua e lixo colocam em xeque a lei dos pombos

Fogos de artifício causam 5.063 internações no país

08/06/2018

Dupla presa após roubo a clube de tiro no Tatuapé

Alimentar pombo em rua renderá multa de R$ 200

Serviço de limpeza urbana vive impasse em São Paulo

Mais notícias: 1 2 3 4 5 Próximo

De que você precisa?

Copyright Agora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação,
eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br).