Grana
12/10/2009

Veja como aumentar o valor do auxílio-doença

Anay Cury
do Agora

O segurado que recebeu ou ainda recebe o auxílio-doença pode ter três revisões de benefício. Se ele já não recebe o auxílio, é possível pedir as diferenças que não foram pagas em um prazo de até cinco anos após a concessão.

Em todos os casos, o segurado deverá entrar com uma ação na Justiça Federal.

  • Saiba tudo sobre os três tipos de revisão para o segurado que recebeu ou ainda recebe o auxílio-doença na edição impressa do Agora, nas bancas nesta segunda-feira, 12 de outubro
  • Assine o Agora

A primeira revisão é para aqueles que receberam o auxílio-doença entre 28 de março e 3 de julho de 2005. Naquele ano, uma medida provisória alterou as regras do benefício. No tempo em que vigorou, o valor do auxílio era calculado com base na média dos 36 últimos salários de contribuição. Antes, o cálculo considerava as 80% maiores contribuições feitas pelo trabalhador desde julho de 1994. Porém, em seguida, o STF (Superior Tribunal Federal) suspendeu a medida.

Se o segurado teve salários menores nos últimos três anos antes do cálculo do auxílio, seu benefício, na época da medida, ficou mais baixo, e, por isso, há revisão. O direito já foi garantido pelo TRF 4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região, que atende o sul do país). Segundo Breno Campos, do Lacerda e Lacerda Advogados, o aumento chega a 54%. No caso de um segurado que ainda recebe um auxílio-doença de R$ 700, a renda pode passar a R$ 1.078.

Depois de 1999
Para os segurados que tiveram pagamento de auxílio-doença após 1999 e, na época do cálculo do benefício, tinham menos que 144 contribuições, é possível conseguir uma revisão no valor do benefício. Naquele ano, o INSS passou a aplicar, para os segurados com menos de 144 meses de contribuição, uma regra, baseada em um decreto, na qual o auxílio teria como base a média de todas as contribuições. No entanto, já havia lei que dizia que a média do benefício deveria ser calculada em cima das 80% maiores contribuições. "Por essa correção, quem ainda recebe o benefício calculado da forma errada tem direito a um reajuste de até 17,5%, mais a parcela de atrasados dos cinco últimos anos", disse o advogado previdenciário.

O direito foi reconhecido também pelo TRF 4, que concedeu essa revisão a um segurado que teve o benefício negado administrativamente pela Previdência Social.

Entre 1994 e 1997
Já para quem teve o auxílio concedido há mais tempo --entre março de 1994 e fevereiro de 1997-- também é possível pedir a revisão.

Isso porque, nessa época, com a troca de moeda no país, o INSS errou na hora de aplicar o índice da URV (Unidade Real de Valor) nos salários de contribuição.

A correção de benefício pode chegar a 39,67% e já foi reconhecida em instância superior --pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça).

100 Serviços

Índice

PUBLICIDADE

28/06/2017

Conta de luz vai subir 5,15% a partir de terça

INSS acelera aposentadoria por tempo de contribuição

27/06/2017

Governo não usará FGTS de desempregado

Decisão dos Juizados facilita a aposentadoria especial

26/06/2017

Veja dicas para não cair no golpe da revisão falsa

Ansiedade afasta mais do trabalho

Clínicas são opção para quem perdeu plano de saúde

25/06/2017

Veja o benefício de quem se aposenta dos 50 aos 60 anos

Morar só ou em família exige cuidado para evitar dívidas

24/06/2017

Reação à vacina pode ter deixado carne com pus

FGTS poderá substituir o seguro-desemprego

23/06/2017

Idade mínima da mulher na aposentadoria deve cair

Idoso de 80 anos terá prioridade na Justiça

22/06/2017

Convênios terão que pagar novos remédios

75.627 segurados do INSS recebem atrasados neste mês

21/06/2017

Veja como saber seu tempo de contribuição

20/06/2017

Servidor terá benefício sem desconto antes

Herdeiros podem sacar atrasados antes do confisco

19/06/2017

Corte de energia pode garantir indenização

Reforma deixará doméstica longe da aposentadoria

Veja como ter uma segunda chance de revisão do INSS

18/06/2017

Remédios sobem mais que o dobro da inflação em maio

É possível mudar de carreira mesmo na crise econômica

Desempregados usam FGTS para abrir o próprio negócio

Saiba aumentar o tempo de contribuição e se aposentar

17/06/2017

JBS apaga marca Friboi de rótulos de produtos

Veja como ter indenização em caso de erro do INSS

16/06/2017

Receita paga hoje lote de restituição do IR

Saiba evitar que o governo tome seu atrasado do INSS

15/06/2017

Parlamentares devem R$ 372 milhões ao INSS

INSS paga mais atrasados em revisão feita no posto

14/06/2017

Planos coletivos terão aumento de até 26%

Câmara autoriza governo a resgatar atrasados do INSS

13/06/2017

Preço do etanol cai nos postos da capital

Confira como acelerar o pagamento da aposentadoria

12/06/2017

Justiça garante o tempo especial a mais profissões

Plano de saúde do idoso exige mais cuidados

Crise leva trabalhador a aceitar salário mais baixo

11/06/2017

Confira a melhor idade para pedir sua aposentadoria

Na crise, famílias fazem de tudo para economizar

10/06/2017

Caixa libera hoje saque do quarto lote do FGTS

Veja como o demitido pode garantir a aposentadoria

09/06/2017

Para driblar crise, motéis parcelam em até 3 vezes

Temer decide adiar votação de reformas

08/06/2017

Botijão de gás deve subir até R$ 3 na capital

Pente-fino do INSS vai convocar 112 mil idosos

07/06/2017

Consulta ao primeiro lote do IR sai amanhã

Saque do FGTS inativo é antecipado para sábado

06/06/2017

Novo site do INSS deverá agilizar a aposentadoria

Feijão-carioca vai ficar mais caro nos mercados

Mais notícias: 1 2 3 4 5 Próximo

De que você precisa?

Copyright Agora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação,
eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br).