Grana
12/10/2009

Veja como aumentar o valor do auxílio-doença

Anay Cury
do Agora

O segurado que recebeu ou ainda recebe o auxílio-doença pode ter três revisões de benefício. Se ele já não recebe o auxílio, é possível pedir as diferenças que não foram pagas em um prazo de até cinco anos após a concessão.

Em todos os casos, o segurado deverá entrar com uma ação na Justiça Federal.

  • Saiba tudo sobre os três tipos de revisão para o segurado que recebeu ou ainda recebe o auxílio-doença na edição impressa do Agora, nas bancas nesta segunda-feira, 12 de outubro
  • Assine o Agora

A primeira revisão é para aqueles que receberam o auxílio-doença entre 28 de março e 3 de julho de 2005. Naquele ano, uma medida provisória alterou as regras do benefício. No tempo em que vigorou, o valor do auxílio era calculado com base na média dos 36 últimos salários de contribuição. Antes, o cálculo considerava as 80% maiores contribuições feitas pelo trabalhador desde julho de 1994. Porém, em seguida, o STF (Superior Tribunal Federal) suspendeu a medida.

Se o segurado teve salários menores nos últimos três anos antes do cálculo do auxílio, seu benefício, na época da medida, ficou mais baixo, e, por isso, há revisão. O direito já foi garantido pelo TRF 4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região, que atende o sul do país). Segundo Breno Campos, do Lacerda e Lacerda Advogados, o aumento chega a 54%. No caso de um segurado que ainda recebe um auxílio-doença de R$ 700, a renda pode passar a R$ 1.078.

Depois de 1999
Para os segurados que tiveram pagamento de auxílio-doença após 1999 e, na época do cálculo do benefício, tinham menos que 144 contribuições, é possível conseguir uma revisão no valor do benefício. Naquele ano, o INSS passou a aplicar, para os segurados com menos de 144 meses de contribuição, uma regra, baseada em um decreto, na qual o auxílio teria como base a média de todas as contribuições. No entanto, já havia lei que dizia que a média do benefício deveria ser calculada em cima das 80% maiores contribuições. "Por essa correção, quem ainda recebe o benefício calculado da forma errada tem direito a um reajuste de até 17,5%, mais a parcela de atrasados dos cinco últimos anos", disse o advogado previdenciário.

O direito foi reconhecido também pelo TRF 4, que concedeu essa revisão a um segurado que teve o benefício negado administrativamente pela Previdência Social.

Entre 1994 e 1997
Já para quem teve o auxílio concedido há mais tempo --entre março de 1994 e fevereiro de 1997-- também é possível pedir a revisão.

Isso porque, nessa época, com a troca de moeda no país, o INSS errou na hora de aplicar o índice da URV (Unidade Real de Valor) nos salários de contribuição.

A correção de benefício pode chegar a 39,67% e já foi reconhecida em instância superior --pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça).

100 Serviços

Índice

PUBLICIDADE

24/04/2018

Posso incluir despesas médicas de minha sogra?

Rótulo de cerveja deve detalhar cereais usados

Atrasados de até R$ 57.240 serão pagos até sexta-feira

23/04/2018

Dentista quer saber como declarar valor recebido como autônoma

Cartão de loja tem juros altos e taxas ocultas

Mesmo sem êxito, eles não desistem de buscar emprego

Trabalho sem carteira conta para aposentadoria no INSS

22/04/2018

Caderno tira 50 dúvidas do Imposto de Renda

21/04/2018

Leitor tem dúvida sobre declaração de espólio

Prévia da inflação é a menor em 12 anos

Aposentados podem evitar desconto da troca de benefício

20/04/2018

Grana do acordo da revisão da poupança é isenta?

Posto do INSS não conta o auxílio na carência

Veja o que fazer antes de sacar o primeiro benefício

19/04/2018

Leitor diz que CPF da mãe já está em uso

Salário de até R$ 2.572 deveria ser livre do IR

Prepare-se para ganhar mais na aposentadoria

18/04/2018

Leitor pergunta sobre escola particular do filho

Aposentadoria sobe R$ 2.000 com auxílio cortado pelo INSS

Gás e álcool não ficam mais baratos ao cliente

17/04/2018

Posso declarar minha mãe como minha dependente?

Caixa reduz juros para financiar casa própria

Revisão dos auxílios será paga entre 2 e 8 de maio

16/04/2018

Reforma trabalhista cria nova barreira para tempo especial

Juro cai, mas taxa do cheque especial é alta

Veja como garantir ajuda gratuita para declarar o Imposto de Renda

Aposentado que trabalha pergunta como deve fazer declaração

15/04/2018

Confira como declarar imóvel dividido

Taxa básica despenca, mas juro do crédito segue alto

Confira quem garante a nova troca de aposentadoria

Compra coletiva no atacado é saída para economizar

14/04/2018

Saiba como declarar imóvel financiado

Veja o que está mais barato nos mercados

Pedidos de revisão ao INSS crescem nos juizados federais

13/04/2018

Preciso fazer a declaração por ter recebido herança?

Governo prevê mínimo de R$ 1.002

Todos os cheques serão compensados em 1 dia

152 mil têm última chance de manter benefício do INSS

12/04/2018

10% mais ricos ganham metade da renda no país

É preciso declarar bolsa do filho?

Juizado conta tempo especial até 1998 na aposentadoria

11/04/2018

Leitor pergunta sobre imóveis que têm usufruto da mãe

Governo libera crédito da Nota Fiscal Paulista

Justiça manda INSS incluir trabalho infantil no benefício

10/04/2018

Existe um prazo para deduzir as despesas?

Um terço da renda vai para cartão de crédito

Juizado garante nova troca de aposentadoria em SP

09/04/2018

Leitor quer saber como declarar apartamento vendido

Declarar aposentadoria exige atenção a risco da malha fina

Veja como não cair no golpe dos precatórios

Mais notícias: 1 2 3 4 5 Próximo

De que você precisa?

Copyright Agora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação,
eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br).