Grana
12/10/2009

Veja como aumentar o valor do auxílio-doença

Anay Cury
do Agora

O segurado que recebeu ou ainda recebe o auxílio-doença pode ter três revisões de benefício. Se ele já não recebe o auxílio, é possível pedir as diferenças que não foram pagas em um prazo de até cinco anos após a concessão.

Em todos os casos, o segurado deverá entrar com uma ação na Justiça Federal.

  • Saiba tudo sobre os três tipos de revisão para o segurado que recebeu ou ainda recebe o auxílio-doença na edição impressa do Agora, nas bancas nesta segunda-feira, 12 de outubro
  • Assine o Agora

A primeira revisão é para aqueles que receberam o auxílio-doença entre 28 de março e 3 de julho de 2005. Naquele ano, uma medida provisória alterou as regras do benefício. No tempo em que vigorou, o valor do auxílio era calculado com base na média dos 36 últimos salários de contribuição. Antes, o cálculo considerava as 80% maiores contribuições feitas pelo trabalhador desde julho de 1994. Porém, em seguida, o STF (Superior Tribunal Federal) suspendeu a medida.

Se o segurado teve salários menores nos últimos três anos antes do cálculo do auxílio, seu benefício, na época da medida, ficou mais baixo, e, por isso, há revisão. O direito já foi garantido pelo TRF 4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região, que atende o sul do país). Segundo Breno Campos, do Lacerda e Lacerda Advogados, o aumento chega a 54%. No caso de um segurado que ainda recebe um auxílio-doença de R$ 700, a renda pode passar a R$ 1.078.

Depois de 1999
Para os segurados que tiveram pagamento de auxílio-doença após 1999 e, na época do cálculo do benefício, tinham menos que 144 contribuições, é possível conseguir uma revisão no valor do benefício. Naquele ano, o INSS passou a aplicar, para os segurados com menos de 144 meses de contribuição, uma regra, baseada em um decreto, na qual o auxílio teria como base a média de todas as contribuições. No entanto, já havia lei que dizia que a média do benefício deveria ser calculada em cima das 80% maiores contribuições. "Por essa correção, quem ainda recebe o benefício calculado da forma errada tem direito a um reajuste de até 17,5%, mais a parcela de atrasados dos cinco últimos anos", disse o advogado previdenciário.

O direito foi reconhecido também pelo TRF 4, que concedeu essa revisão a um segurado que teve o benefício negado administrativamente pela Previdência Social.

Entre 1994 e 1997
Já para quem teve o auxílio concedido há mais tempo --entre março de 1994 e fevereiro de 1997-- também é possível pedir a revisão.

Isso porque, nessa época, com a troca de moeda no país, o INSS errou na hora de aplicar o índice da URV (Unidade Real de Valor) nos salários de contribuição.

A correção de benefício pode chegar a 39,67% e já foi reconhecida em instância superior --pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça).

100 Serviços

Índice

PUBLICIDADE

31/03/2015

Aposentado pergunta sobre o FGTS

Procuradoria pede troca de aposentadoria no INSS

Saldo da Nota Paulista já pode ser consultado

30/03/2015

Saiba como controlar as contas e fugir das dívidas

Confira o que pode acelerar seu precatório

Veja como garantir o bônus da aposentadoria por idade

29/03/2015

Ceia para o almoço de Páscoa custa a partir de R$ 79,90

Aposentado pode conseguir bolada de mais de R$ 231 mil

Consumidor corta gasto com produtos de beleza

28/03/2015

Salário mínimo deverá ser de R$ 851 no ano que vem

Leitor pergunta sobre desconto do IR no 13º salário

Conta de luz continuará mais cara em abril

27/03/2015

Veja quem terá a correção maior dos seus atrasados

Remédios devem subir até 7,7%, diz indústria

Declare a venda de veículo

26/03/2015

Supremo dá correção maior a atrasados a partir de hoje

Leitor quer saber como informa despesa odontológica parcelada

Cortes na pensão são prorrogados até junho

25/03/2015

Manobra de Dilma evita reajuste das aposentadorias

Remédios ficam mais caros semana que vem

Saiba como declarar compra de apartamento

24/03/2015

Governo liberará atrasados do INSS no início do mês

Preço do convênio e de exame podem ter limite

Saiba declarar resgate de previdência privada

23/03/2015

Saiba declarar a poupança e a conta negativa no IR

Veja as opções para financiar a faculdade

Confira qual será o valor da sua aposentadoria em maio

22/03/2015

Veja se o casal deve declarar o IR junto ou separado

Aposentadoria pode passar para o teto de R$ 4.663,75

Imóvel ao lado de SP é maior e custa menos

21/03/2015

Saiba declarar o ganho da loteria no IR

Justiça amplia atrasados do auxílio e da aposentadoria

Inflação é a maior desde maio de 2005

20/03/2015

Leitora pergunta sobre pensão alimentícia de seu marido

Doença grave antecipa a troca de aposentadoria

Correção de precatórios divide opiniões no Supremo

19/03/2015

Leitor pergunta sobre declaração do aposentado

Governo aceita negociar cálculo da pensão do INSS

Veja regras aprovadas para as domésticas

18/03/2015

Leitor quer saber como declara aluguel

Governo estuda cobrança de impostos sobre herança

Supremo barra desconto de dívida em atrasados do INSS

Consultas lideram as queixas dos convênios

17/03/2015

Saiba como declarar resgate de PGBL e VGBL

Fator obriga segurado a trabalhar um ano a mais

Confira quem pode ser dependente no IR

16/03/2015

Pãozinho e celular ficam mais caros com alta do dólar

Ovos com brinde podem custar até R$ 32 a mais

Veja quando a aposentadoria por idade é a melhor opção

15/03/2015

Veja os gastos com saúde que podem ser restituídos no IR

Mais notícias: 1 2 3 4 5 Próximo

De que você precisa?

Copyright Agora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação,
eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br).