Grana
12/10/2009

Veja como aumentar o valor do auxílio-doença

Anay Cury
do Agora

O segurado que recebeu ou ainda recebe o auxílio-doença pode ter três revisões de benefício. Se ele já não recebe o auxílio, é possível pedir as diferenças que não foram pagas em um prazo de até cinco anos após a concessão.

Em todos os casos, o segurado deverá entrar com uma ação na Justiça Federal.

  • Saiba tudo sobre os três tipos de revisão para o segurado que recebeu ou ainda recebe o auxílio-doença na edição impressa do Agora, nas bancas nesta segunda-feira, 12 de outubro
  • Assine o Agora

A primeira revisão é para aqueles que receberam o auxílio-doença entre 28 de março e 3 de julho de 2005. Naquele ano, uma medida provisória alterou as regras do benefício. No tempo em que vigorou, o valor do auxílio era calculado com base na média dos 36 últimos salários de contribuição. Antes, o cálculo considerava as 80% maiores contribuições feitas pelo trabalhador desde julho de 1994. Porém, em seguida, o STF (Superior Tribunal Federal) suspendeu a medida.

Se o segurado teve salários menores nos últimos três anos antes do cálculo do auxílio, seu benefício, na época da medida, ficou mais baixo, e, por isso, há revisão. O direito já foi garantido pelo TRF 4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região, que atende o sul do país). Segundo Breno Campos, do Lacerda e Lacerda Advogados, o aumento chega a 54%. No caso de um segurado que ainda recebe um auxílio-doença de R$ 700, a renda pode passar a R$ 1.078.

Depois de 1999
Para os segurados que tiveram pagamento de auxílio-doença após 1999 e, na época do cálculo do benefício, tinham menos que 144 contribuições, é possível conseguir uma revisão no valor do benefício. Naquele ano, o INSS passou a aplicar, para os segurados com menos de 144 meses de contribuição, uma regra, baseada em um decreto, na qual o auxílio teria como base a média de todas as contribuições. No entanto, já havia lei que dizia que a média do benefício deveria ser calculada em cima das 80% maiores contribuições. "Por essa correção, quem ainda recebe o benefício calculado da forma errada tem direito a um reajuste de até 17,5%, mais a parcela de atrasados dos cinco últimos anos", disse o advogado previdenciário.

O direito foi reconhecido também pelo TRF 4, que concedeu essa revisão a um segurado que teve o benefício negado administrativamente pela Previdência Social.

Entre 1994 e 1997
Já para quem teve o auxílio concedido há mais tempo --entre março de 1994 e fevereiro de 1997-- também é possível pedir a revisão.

Isso porque, nessa época, com a troca de moeda no país, o INSS errou na hora de aplicar o índice da URV (Unidade Real de Valor) nos salários de contribuição.

A correção de benefício pode chegar a 39,67% e já foi reconhecida em instância superior --pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça).

100 Serviços

Índice

PUBLICIDADE

26/11/2014

Nova consulta à revisão dos auxílios fica para dezembro

Piso das domésticas pode subir para R$ 891

Preço da gasolina pode subir mais

25/11/2014

Teto das aposentadorias vai para R$ 4.673 em 2015

Jovens da periferia compram mais carros

Celular e internet são caros no país

24/11/2014

Evite dor de cabeça com as compras na Black Friday, na próxima sexta

Trocar de produto é uma forma de gastar menos nas compras

Trabalhador que contribui tarde pode ter aposentadoria maior

Agora traz caderno especial sobre Previdência Privada

23/11/2014

Prepare o seu bolso para passar as férias na praia

Contribuições que ficaram de fora aumentam a aposentadoria

Juros dos atrasados têm desconto de Imposto de Renda

22/11/2014

Congresso pressiona com reajuste nos benefícios

Clientes lotam 25 de Março para as compras de Natal

Inflação dos alimentos deve ser menor do que em 2013

21/11/2014

Segurado já pode consultar segunda parcela do 13º do INSS

IPI de carro zero voltará ao normal em janeiro

20/11/2014

Mais doenças poderão dar isenção do Imposto de Renda

IPVA de carro usado vai cair 4,2% no ano que vem

INSS revisará aposentadoria que incluiu auxílio-doença

19/11/2014

Corrija o IR até o dia 28 e garanta restituição neste ano

Idoso poderá ser dispensado de passar por perícia no INSS

Devedor pode perder carro após três meses

18/11/2014

Troca de aposentadoria deverá ficar só para 2015

TCU diz que pagamento das aposentadorias está em risco

17/11/2014

Preço da pizza aumenta até 10% no Estado de São Paulo

Cancelamento de telefone e TV demora

Veja a carência exigida para ganhar benefícios no INSS

16/11/2014

Escola não pode exigir nome limpo dos pais

Confira as promoções de Natal dos shoppings de SP

Saiba quando é vantagem pedir a aposentadoria já

15/11/2014

Veja como cobrar o FGTS sem precisar ir à Justiça

Parte dos convênios não informa sobre suspensão

Construção fecha 33.556 mil vagas no mês de outubro

14/11/2014

Supremo limita prazo para pedir o depósito do FGTS

Governo suspende a venda de 65 convênios

Trabalhador deve checar os extratos

13/11/2014

Amil é multada em R$ 870 mil por cortar hospital sem aviso

Senado aprova direito ao tempo especial com proteção

Redução do INSS para as domésticas avança

12/11/2014

Com falta de chuvas, preço do limão dispara na capital

Empresa de call center que insistir em ligar será multada

Superior Tribunal de Justiça ainda dá troca de benefício

11/11/2014

Confira o valor do 13º salário de quem se aposentou neste ano

Oi muda cobrança de internet em dezembro

10/11/2014

Confira como a doméstica garante a aposentadoria

Consulta ao 6º lote do IR está liberada

Veja como ter prazo extra para o pedido de revisão

09/11/2014

Espera para marcar uma consulta é de até 65 dias

Mais notícias: 1 2 3 4 5 Próximo

De que você precisa?

Copyright Agora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação,
eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br).