Brasil
30/03/2012

Ministro do Supremo quebra sigilo bancário de senador

Folha de S.Paulo

Brasília - O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Ricardo Lewandowski, determinou a quebra de sigilo bancário do senador Demóstenes Torres (DEM-GO), por cerca dois anos, período em que ele foi flagrado em conversas telefônicas com o empresário ligado à exploração de jogos clandestinos, Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira --que foi preso pela Polícia Federal.

Lewandowski é o relator do inquérito sobre Demóstenes apresentado na terça-feira pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel.

Gravações reveladas anteontem pelo "Jornal Nacional", da TV Globo, mostravam o nome do senador do DEM mencionado em conversas em que o bicheiro e integrantes de seu grupo discutiam cifras milionárias.

O ministro pediu ainda ao Senado a lista das emendas ao Orçamento apresentadas por Demóstenes --isso pode indicar que uma de suas linhas de investigação será analisar se o senador utilizou prerrogativas de seu cargo para favorecer Cachoeira.

Ricardo Lewandowski negou, no entanto, pedido do procurador-geral para um depoimento de Demóstenes Torres por entender que ainda não é a hora.

Carlinhos Cachoeira está preso preventivamente desde 29 de fevereiro, após a Operação Monte Carlo, da Polícia Federal, que desmontou uma quadrilha que explorava máquinas caça-níqueis.

O senador aparece em conversas telefônicas, interceptadas com autorização judicial, com Cachoeira.

Demóstenes admite que recebeu do empresário telefone especial para conversas entre os dois. A Polícia Federal gravou cerca de 300 diálogos entre o senador e o bicheiro.

Resposta

Brasília - Questionado sobre as gravações, o advogado do senador Demóstenes Torres (DEM-GO), Antonio Castro, afirmou que elas não têm valor jurídico e são totalmente nulas. Isso porque o senador só poderia ser investigado com autorização do STF.

As defesas de Cachoeira e de outros presos pela PF não foram localizadas.

Índice

PUBLICIDADE

16/01/2017

Senadores dobram gastos com viagens e combustível

15/01/2017

Para se reerguer, Odebrecht estuda até mudar de nome

14/01/2017

Geddel recebia propina em esquema da Caixa, diz PF

13/01/2017

Pressionado, Aécio Neves voltará a morar em Minas

12/01/2017

Suporte a governistas no Congresso abre guerra no PT

11/01/2017

Gilmar Mendes pega carona com Temer em avião oficial

10/01/2017

Em cerimônia no Sul, Temer confunde real com cruzeiro

09/01/2017

Passagem ao exterior custa até R$ 55 mil a tribunais

08/01/2017

Acerto da Odebrecht e de seus executivos deve ter delações estaduais

07/01/2017

Operador de Serra admite repasse no exterior em 2010

06/01/2017

Ataque de hacker prejudica acesso ao site do Agora

No governo, Cabral passou quase um ano fora do país

05/01/2017

Planalto estimula Maia a adiar sua candidatura

04/01/2017

Propina da Odebrecht virou doação oficial, diz delação

03/01/2017

Prefeito de Curitiba é internado no 1º dia de trabalho

02/01/2017

Polícia Federal desenvolve tecnologia para a Lava Jato

01/01/2017

Agência de publicidade recebeu R$ 1,9 milhão da CNI, do Sesi e do Senai

31/12/2016

Propaganda de Temer diz que PT não teve coragem

30/12/2016

Em balanço do ano, Temer ignora saídas de ministros

29/12/2016

Temer pede um novo plano para ajudar Estados falidos

28/12/2016

Após críticas, governo cancela regalias para avião de Temer

27/12/2016

PT trocou apoio a PMDB no Senado por alívio a Dilma

26/12/2016

Decisões individuais crescem no Supremo Tribunal Federal

24/12/2016

Suíça sequestra R$ 327 mi das contas da Odebrecht

23/12/2016

Odebrecht delata conta para manter influência de Lula

22/12/2016

Odebrecht pagou R$ 3,3 bilhões em propina em 12 países

21/12/2016

Odebrecht pagou terreno para Lula, dizem delatores

20/12/2016

Odebrecht ganhou R$ 8,4 bilhões com compra de legislação

19/12/2016

Principais candidatos em 2018 são citados na Lava Jato

18/12/2016

Governo quer criar jornada de trabalho flexível

Delação tem nomes não identificados

17/12/2016

Pastor Silas Malafaia é alvo de ação da PF contra fraude

Cabral vira réu pela segunda vez e será julgado por Moro

16/12/2016

Temer negociou doação para ajudar Odebrecht, diz delator

15/12/2016

Ministro anula votação que alterou pacote anticorrupção

Delatado, assessor e amigo de Temer pede demissão

14/12/2016

Prédio da Fiesp é depredado

Senado aprova PEC do Teto, que limita gastos do governo

Marcelo Odebrecht confirma a denúncia contra Temer

13/12/2016

Pela 1ª vez, Janot denuncia Renan em ação da Lava Jato

Citado em delação, Temer diz que vazamento é 'ilegítimo'

12/12/2016

Para conter crise, Michel Temer quer acerto com PSDB

11/12/2016

Temer é citado 43 vezes em delação da Odebrecht

10/12/2016

Delator da Odebrecht cita Temer e mais 23

Procuradoria denuncia Lula e filho por esquema criminoso

09/12/2016

Odebrecht delata caixa 2 em dinheiro vivo para Alckmin

Renan desiste de votar lei de abuso de autoridade

08/12/2016

Cabral comprou lancha por R$ 5,3 milhões, diz polícia

Por 6 a 3, Supremo mantém Renan à frente do Senado

07/12/2016

Mulher de Cabral é presa, e ex-governador se torna réu

Mais notícias: 1 2 3 4 5 Próximo

De que você precisa?

Copyright Agora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação,
eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br).