Brasil
30/03/2012

Ministro do Supremo quebra sigilo bancário de senador

Folha de S.Paulo

Brasília - O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Ricardo Lewandowski, determinou a quebra de sigilo bancário do senador Demóstenes Torres (DEM-GO), por cerca dois anos, período em que ele foi flagrado em conversas telefônicas com o empresário ligado à exploração de jogos clandestinos, Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira --que foi preso pela Polícia Federal.

Lewandowski é o relator do inquérito sobre Demóstenes apresentado na terça-feira pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel.

Gravações reveladas anteontem pelo "Jornal Nacional", da TV Globo, mostravam o nome do senador do DEM mencionado em conversas em que o bicheiro e integrantes de seu grupo discutiam cifras milionárias.

O ministro pediu ainda ao Senado a lista das emendas ao Orçamento apresentadas por Demóstenes --isso pode indicar que uma de suas linhas de investigação será analisar se o senador utilizou prerrogativas de seu cargo para favorecer Cachoeira.

Ricardo Lewandowski negou, no entanto, pedido do procurador-geral para um depoimento de Demóstenes Torres por entender que ainda não é a hora.

Carlinhos Cachoeira está preso preventivamente desde 29 de fevereiro, após a Operação Monte Carlo, da Polícia Federal, que desmontou uma quadrilha que explorava máquinas caça-níqueis.

O senador aparece em conversas telefônicas, interceptadas com autorização judicial, com Cachoeira.

Demóstenes admite que recebeu do empresário telefone especial para conversas entre os dois. A Polícia Federal gravou cerca de 300 diálogos entre o senador e o bicheiro.

Resposta

Brasília - Questionado sobre as gravações, o advogado do senador Demóstenes Torres (DEM-GO), Antonio Castro, afirmou que elas não têm valor jurídico e são totalmente nulas. Isso porque o senador só poderia ser investigado com autorização do STF.

As defesas de Cachoeira e de outros presos pela PF não foram localizadas.

Índice

PUBLICIDADE

26/01/2015

Mudança nos benefícios foi planejada antes da eleição

25/01/2015

Sumida, presidente Dilma estima que dificuldades irão até 2016

24/01/2015

Chefe do cartel de empreiteiras negocia delação

23/01/2015

Dilma completa um mês sem dar entrevista

Empresas do caso Petrobras pagaram R$ 3,7 milhões a Dirceu

22/01/2015

Doleiro ficará preso cinco anos e devolverá hotéis e imóveis

21/01/2015

Cunha diz que foi alertado de áudio forjado contra ele

20/01/2015

Perda bilionária é culpa da Petrobras, afirma ex-diretor

19/01/2015

Polícia Federal vai ampliar investigação na Petrobras

18/01/2015

Refinaria de Abreu e Lima dará prejuízo de R$ 8,4 bilhões

17/01/2015

Propina para Petrobras passou por sete países

16/01/2015

Policial sugere que delator enterrou grana na piscina

15/01/2015

Ex-diretor da Petrobras é preso por transação suspeita

14/01/2015

Collor deve ser denunciado em ação do caso Petrobras

13/01/2015

Ministro da Cultura diz que Marta quer atingir PT e Dilma Rousseff

12/01/2015

Parlamentar custa por mês R$ 151 mil

11/01/2015

Kassab tenta atrair governadores para fundar nova sigla

10/01/2015

Ministro dos Transportes é alvo de processo judicial

09/01/2015

Eleita prioridade, Educação sofre corte de R$ 7 bilhões

08/01/2015

Novo ministro dos Portos já foi condenado na Justiça

07/01/2015

Governo antecipa cortes e limita gastos de ministérios

06/01/2015

Novo ministro da Fazenda estuda aumentar impostos

05/01/2015

Julgamento de políticos fica mais rápido com nova regra

04/01/2015

42 parlamentares assumem e ganham salário de férias

03/01/2015

Ricardo Berzoini diz que governo vai regulamentar a mídia

Novo ministro da Fazenda nega pacote econômico

02/01/2015

Dilma defende Petrobras e propõe pacto anticorrupção

Dilma promete aperto com 'menor sacrifício possível'

01/01/2015

Dilma conclui reforma de ministério e toma posse hoje

31/12/2014

Detetive de Haddad vai investigar contas de Aécio

30/12/2014

Dilma anuncia mais sete ministros e afasta lulistas

29/12/2014

Tribunal cobra juízes com processos atrasados

28/12/2014

PT mantém controle dos ministérios com mais grana

Governo teme calote de empresas da Lava Jato

27/12/2014

Lula e movimentos sociais se unem para pressionar Dilma

26/12/2014

Apoio a Dilma na Câmara diminui no ano da reeleição

25/12/2014

Aliados de Lula perdem força no ministério

24/12/2014

Dilma dá força ao PMDB ao indicar novos ministros

23/12/2014

Dilma consultará Ministério Público para montar equipe

22/12/2014

Governo enfrentará seu próprio veneno, diz Aécio

Carta de 2008 avisou cúpula da Petrobras sobre cartel

21/12/2014

Bancos seguram dinheiro bloqueado na Lava Jato

Dilma tenta perder 13 quilos até a posse

20/12/2014

Ex-funcionária da Petrobras confirma aviso sobre desvios

19/12/2014

Denúncia contra políticos da Lava Jato fica para 2015

18/12/2014

Presidente da Petrobras diz que não pode calcular desvio

17/12/2014

Petrobras agora diz que foi avisada de desvios neste ano

16/12/2014

Juiz abre processos contra executivos de empreiteiras

15/12/2014

Google leva multa por não colaborar com a Operação Lava Jato

Aumento para autoridades pode custar R$ 3,8 bilhões

Mais notícias: 1 2 3 4 5 Próximo

De que você precisa?

Copyright Agora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação,
eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br).