Brasil
22/02/2012

Sigla de Kassab equivale a 5 milhões de votos, diz TSE

Folha de S.Paulo

Estudo do Tribunal Superior Eleitoral aponta que o PSD (Partido Social Democrático) reúne políticos que disputaram vagas de deputado federal em 2010 e receberam um total de 5,1 milhões de votos.

A legenda seria a sétima maior do país se existisse à época da última eleição.

Esse dado será considerado para que o TSE conceda ou não à agremiação acesso ao dinheiro do Fundo Partidário, uma das maiores fontes de receita das siglas.

Idealizado pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, o PSD recebeu seu registro definitivo no ano passado. Como nunca disputou uma eleição, tem direito apenas a uma parcela mínima do fundo (R$ 18,5 mil por mês) e alguns segundos do horário eleitoral na TV e no rádio.

O partido tenta reverter a situação na Justiça Eleitoral. Se tiver sucesso, passará a receber cerca de R$ 1,6 milhão por mês do Fundo Partidário --calculado de acordo com o número de votos obtidos por candidatos a deputado federal (eleitos e não eleitos).

Em seguida, o PSD entrará com uma ação para também obter o tempo de TV, nesse caso com base no número de deputados eleitos.

A tese do partido de Kassab é simples. O TSE criou em 2007 a norma da fidelidade partidária: mandatos eletivos passaram a pertencer aos partidos. A partir daí, quem se desligou de uma legenda correu o risco de perder o cargo. Mas há exceções. Uma delas é que o político pode deixar uma sigla para fundar uma nova. "Se a própria Justiça diz que um político pode sair do partido pelo qual foi eleito e fundar um novo, parece natural que esse político leve consigo os votos que obteve", diz o secretário-geral do PSD, Saulo Queiroz.

Não há prazo para que o TSE tome a decisão final.

LEIA MAIS

sobre eleições na pág. A4

Índice

PUBLICIDADE

16/01/2017

Senadores dobram gastos com viagens e combustível

15/01/2017

Para se reerguer, Odebrecht estuda até mudar de nome

14/01/2017

Geddel recebia propina em esquema da Caixa, diz PF

13/01/2017

Pressionado, Aécio Neves voltará a morar em Minas

12/01/2017

Suporte a governistas no Congresso abre guerra no PT

11/01/2017

Gilmar Mendes pega carona com Temer em avião oficial

10/01/2017

Em cerimônia no Sul, Temer confunde real com cruzeiro

09/01/2017

Passagem ao exterior custa até R$ 55 mil a tribunais

08/01/2017

Acerto da Odebrecht e de seus executivos deve ter delações estaduais

07/01/2017

Operador de Serra admite repasse no exterior em 2010

06/01/2017

Ataque de hacker prejudica acesso ao site do Agora

No governo, Cabral passou quase um ano fora do país

05/01/2017

Planalto estimula Maia a adiar sua candidatura

04/01/2017

Propina da Odebrecht virou doação oficial, diz delação

03/01/2017

Prefeito de Curitiba é internado no 1º dia de trabalho

02/01/2017

Polícia Federal desenvolve tecnologia para a Lava Jato

01/01/2017

Agência de publicidade recebeu R$ 1,9 milhão da CNI, do Sesi e do Senai

31/12/2016

Propaganda de Temer diz que PT não teve coragem

30/12/2016

Em balanço do ano, Temer ignora saídas de ministros

29/12/2016

Temer pede um novo plano para ajudar Estados falidos

28/12/2016

Após críticas, governo cancela regalias para avião de Temer

27/12/2016

PT trocou apoio a PMDB no Senado por alívio a Dilma

26/12/2016

Decisões individuais crescem no Supremo Tribunal Federal

24/12/2016

Suíça sequestra R$ 327 mi das contas da Odebrecht

23/12/2016

Odebrecht delata conta para manter influência de Lula

22/12/2016

Odebrecht pagou R$ 3,3 bilhões em propina em 12 países

21/12/2016

Odebrecht pagou terreno para Lula, dizem delatores

20/12/2016

Odebrecht ganhou R$ 8,4 bilhões com compra de legislação

19/12/2016

Principais candidatos em 2018 são citados na Lava Jato

18/12/2016

Governo quer criar jornada de trabalho flexível

Delação tem nomes não identificados

17/12/2016

Pastor Silas Malafaia é alvo de ação da PF contra fraude

Cabral vira réu pela segunda vez e será julgado por Moro

16/12/2016

Temer negociou doação para ajudar Odebrecht, diz delator

15/12/2016

Ministro anula votação que alterou pacote anticorrupção

Delatado, assessor e amigo de Temer pede demissão

14/12/2016

Prédio da Fiesp é depredado

Senado aprova PEC do Teto, que limita gastos do governo

Marcelo Odebrecht confirma a denúncia contra Temer

13/12/2016

Pela 1ª vez, Janot denuncia Renan em ação da Lava Jato

Citado em delação, Temer diz que vazamento é 'ilegítimo'

12/12/2016

Para conter crise, Michel Temer quer acerto com PSDB

11/12/2016

Temer é citado 43 vezes em delação da Odebrecht

10/12/2016

Delator da Odebrecht cita Temer e mais 23

Procuradoria denuncia Lula e filho por esquema criminoso

09/12/2016

Odebrecht delata caixa 2 em dinheiro vivo para Alckmin

Renan desiste de votar lei de abuso de autoridade

08/12/2016

Cabral comprou lancha por R$ 5,3 milhões, diz polícia

Por 6 a 3, Supremo mantém Renan à frente do Senado

07/12/2016

Mulher de Cabral é presa, e ex-governador se torna réu

Mais notícias: 1 2 3 4 5 Próximo

De que você precisa?

Copyright Agora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação,
eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br).